sábado, 16 de maio de 2009

O Tom na tv



Há uma semana,no dia 09 de maio, a TV bandeirantes exibiu no programa Raul Gil o quadro "Homenagem ao artista". Até aí nenhum estranhamento,pois é o que rola toda semana a partir dás 5hs nesse canal.Eu mesma já havia perdido algum tempo vendo diversos artistas se debulhando em lágrimas ao se depararem com os depoimentos de pessoas queridas.
E nessas ocasiões o que eu me lembro é que os artistas eram sempre aqueles que estavam em evidência na mídia,ou seja, com música na novela e fazendo a festa nas rádios AM e FM.
Fatos que me fez abandonar a TV porque já estava cansada do mesmo.
Aliás, esse foi apenas um dos casos entre tantos que delata a televisão como um meio de entretenimento banal.
Não que ela seja cem porcento assim, mas simplesmente ela não me atraí e sei também que estou praticamente sozinha nessa história,pois a TV ainda é muito apreciada pela maioria dos brasileiro.
Tá, voltando para o dia 09 de maio. Eu estava dormindo ás 5h30 da tarde, devido as minhas insónias noturnas,quando meu pai bate na porta do meu quarto e fala " Aquele sujeito que você gosta tá no Raul Gil. Você não vai ver não."
Ligo a TV meio a contra gosto tentando imaginar quem era a tal pessoa. E não é que eu me surpreendi, o tal sujeito era o cantor,compositor e arranjador Antônio José Santana Martins, conhecido como Tom Zé, que nem preciso dizer que eu o admiro.
Considerado uma das figuras mais originais e excêntricas da música popular brasileira, participou ativamente do movimento musical conhecido como Tropicália na década de 1960,ficou por muito tempo no ostracismo, na década de 90 retornou ao cenário musical e passou a ser sucesso de crítica internacional, devido a intervenção do músico David Byrne que redescobriu um disco do Tom Zé em uma loja sebo.
Em meio a tanta mesmice, surge um gênio que abrilhantou a TV brasileira naquela tarde de sábado.Dava para notar o espanto da pláteia se perguntando quem seria aquela pessoa, acredito que muitos telespectadores pensavam a mesma coisa.
E enquanto as pessoas questionavam aquele acontecimento, o Tom se divertia como uma criança,ele levou um balde com os seguintes dizeres,"Para chorar no Raul Gil" e ironizando a situação ele falava a todo momento ''Prestem atenção rebanho de vagabundos.Agora eu sou artista, eu tô no Raul Gil!"
Enfim, eis aí o motivo pelo qual a TV ainda não é um caso perdido. Ou será que ela está apenas tentando recuperar algumas ovelhas desgarradas como eu. Sei lá,mas foi muito bom o que vi.
Pai, obrigada por ter me acordado.

domingo, 10 de maio de 2009




Peço socorro estou acuada. São tantas coisas para fazer que estou mais desorientada do que costumo ficar.

São milhões de trabalhos, atividades e nenhum tempo para mim.

Não vejo a hora das férias chegar e juro que não ligarei nem um poquinho quando eu tiver tempo para ficar só observando a vida passar.

É, tem momentos que eu quero descer deste mundo corrido. Mas,como o mundo não pára o que eu tenho que fazer é viver nesse mundo,pois não há outro mundo.


;;